Pra quem eu escrevo?


Antes eu queria ajudar todo mundo. Queria curar as pessoas, queria mostrar pra elas uma outra realidade. Não que hoje eu não queira mais fazer isso, mas eu aprendi uma coisa bem importante:

Ninguém pode ajudar ninguém. Sabe por que? Porque só as pessoas podem se ajudar.

Como? Quando elas cansam de sofrer. Comigo foi assim, e já vi isso acontecer com várias pessoas.

Hoje eu escrevo pra essas pessoas, as que não aguentam mais passar pelos mesmos problemas, pelas mesmas situações de sempre e que as machucam há anos.

Eu percebi que não adianta querer ajudar alguém que não está pronto pra ser ajudado. Você só é criticado quando tenta fazer isso, e foi aí que eu percebi que todo esse lance de: "preciso ajudar TODO MUNDO" é puro ego.

Querer carregar as pessoas nas costas é querer se sentir superior aos outros, afinal, não dá pra fazer isso. Assim o peso dessas pessoas se torna o seu peso também, e como ajudar pessoas carregando seus pesos, se nem os nossos carregamos direito?

Hoje eu escrevo pra gente que tá afim de se conhecer, se descobrir. Que cansou de depender dos outros, que cansou de achar que era a vítima da história, que quer se curar, mas se curar de verdade.

Hoje eu escrevo pra mim, pois é o que eu gosto de fazer, mesmo que alguns não gostem do que eu escrevo, ou não se identifiquem, por mim tudo bem!

Aprendi que também não faço o que faço pra agradar ninguém (e olha que tentei fazer isso por muitos anos, e ainda faço de vez em quando).

Hoje eu escrevo porque eu amo fazer isso. Amo conhecer o ser humano, amo estuda-lo, e amo compartilhar as coisas que me fazem bem com o maior número possível de pessoas.

É, acho que eu descobri. Hoje eu escrevo, só escrevo..

Experimente ser humano


Tem alguns assuntos que a gente simplesmente ODEIA falar sobre. Pelo menos comigo é assim.

Me sinto exposto, invadido, tímido, e... inferior. Ah, que sentimento horrível! Não suporto me sentir assim. Dói.. machuca profundamente, mesmo que no corpo, nem um arranhão sequer tenha sido causado..

Pois é, nos encarar não é fácil. Não é fácil colocar pra fora medos tão profundos, sentimentos tão lacrados, mas eu aprendi uma coisa: é necessário.

Quando eu só guardava as coisas que eu sentia, a vida passava por cima de mim, igual a um trator.

Quando eu não falava "não" só pra parecer forte, ou por vaidade, eu me torturava muito, mesmo achando que estava fazendo o certo.

Não, não. Jamais estamos fazendo o certo se não fazemos alguma coisa primeiro por nós, pra nossa saúde física e mental.

E me abrir, soltar meus sentimentos, olhar mais pra eles, falar sobre eles (e com eles), me deu uma perspectiva completamente nova sobre a vida: a de que tá tudo bem!

É, tudo bem eu errar um monte de vezes as mesmas coisas.

Tudo bem eu não conseguir agradar todo mundo.

Tudo bem eu achar que vou me sentir inferior se me expor.

TUDO BEM!

Sabe por que? Porque não somos melhores nem piores que ninguém. Todos sentimos, todos lamentamos, todos sorrimos, todos entristecemos, todos somos seres humanos.

Se você também se considera um ser humano, que tal começar hoje a soltar mais as coisas que estão paradas aí dentro de você? Quem sabe alguma coisa incrível não começa a acontecer e mudar na sua vida?...

Quem sabe?

Todo mundo é médium?


Não. Por mais que isso possa doer no ego de alguns, afinal, quem não gostaria de se comunicar com algum parente, amigo ou amiga que já se foram pro outro plano?

Mas calma, ainda assim todo mundo é sensível.

Quando falamos de mediunidade, estamos nos referindo à intermediação entre dois planos, ou então da sua mãe pedindo pra você avisar seu irmão que não irá busca-lo na escola hoje (bom, nesse caso todo mundo pode ser médium rs)!

O termo “mediunidade”, que ficou bem famoso depois que Alan Kardec decodificou a doutrina espírita, refere-se à conexão entre o nosso plano, e o astral, o plano dos espíritos desencarnados, mais sutís que nós (em questão de matéria).

Tá, mas porque então nem todo mundo pode ser médium?

Simples. Todo mundo pode ter a voz da Beyonce, Michael Jackson ou do Freddie Mercury? Com muito treino alguns chegam perto, mas se igualar é difícil! Afinal, seus corpos possuem (no caso dos falecidos, possuíam..) diferenças que os permitiam ter vozes mais melodiosas e agudas que a maior parte das pessoas.

Com a mediunidade é a mesma coisa. Alguns corpos nascem com estruturas que permitem que a mediunidade se expresse (muitas delas acontecem no cérebro – coisa que já está sendo estudada por alguns especialistas, aqui do Brasil inclusive).

Mas calma, você não é pior que ninguém porque não tem mediunidade, afinal, você ainda é extremamente sensível, e sensibilidade não é só pra médium.

Sensibilidade é saber ouvir o coração, é captar energias consciente ou inconscientemente das pessoas e lugares. Sensibilidade é saber o que dizer na hora certa pra quem precisa ouvir através da intuição, é telepatia, premonição, e por aí vai.

Resumindo, todos nós podemos desenvolver (e muito) a nossa sensibilidade pra facilitar nosso processo de cura e evolução aqui na Terra, e tem várias técnicas pra isso. Uma delas é a meditação! Ela te deixará mais presente e consciente daquilo que você sente, e é de verdade.

Agora, se você é daquele tipo de pessoa que “vê gente morta”, ouve vozes desde criança, recebe cartas dos seus mentores e (ou) espíritos desencarnados, seria bem legal procurar um lugar sério pra que você desenvolva esses “dons”, afinal, você não nasceu com eles por acaso.

Bom, espero ter ajudado você de alguma forma! Caso ainda tenha alguma dúvida sobre esse assunto, sinta-se livre pra me mandar um e-mail no sinonimodeoutono@outlook.com, que tentarei responder o mais breve possível, afinal, sou médium e sensitivo, e sei que lidar com tudo isso que sentimos não é sempre fácil.

Um abraço a você que leu até aqui (o que não foi por acaso), e muita luz na sua caminhada!


O que ninguém te conta sobre as doenças


Sempre ficamos doentes por duas razões:

A primeira delas é que estamos trabalhando mau com algumas emoções, que ficam "aglomeradas" em alguma parte do nosso corpo, até condensarem.

A segunda é pelo ganho secundário. Que isso? Te explico:

Sabe quando você fica bem doente, tipo de cama, e sempre tem alguém cuidando de você, te mimando, ficando por perto? Pois é, essas coisas são chamadas de "ganhos secundários" pela psicologia, e muitas vezes adoecemos só pra receber esses mimos.

Mas como assim, gripe não se pega com vírus?

Estamos 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano respirando vírus e bactérias no ar, porque então não ficamos doentes mais vezes, tipo toda semana?

Pois é, as doenças se originam de causas emocionais. Elas nascem de carências nossas, de medos, frustrações, raivas, solidão, tristeza, e cada uma delas gera um ganho secundário.

O problema é que algumas pessoas não conseguem se ver longe disso, e por isso passam uma vida inteira doentes.

Pense bem, e reflita se estar doente pra você é tão ruim como imagina, pois pode ser que você perceba algo incrível: talvez esteja se mantendo doente pra receber algo das pessoas que normalmente estão ausentes pra você.

Tudo é consciência, e quando você ilumina a sua, para de reclamar dos outros e dos seus problemas.

Você percebe que você e só você é o grande causador daquilo que acontece em sua vida.
*  *  *
Mantenha o fluxo desse energia, compartilhe!
Página do Face | Palestras e vídeos | E-mail: sinonimodeoutono@outlook.com 


Você sempre pode mudar tudo


Sabe aqueles dias que você acorda com o pé esquerdo, e simplesmente nada dá certo?

Sabe quando você tem um briga feia com alguém, e de repente começa a perceber que o resto do mundo está um caos, e que nada está ao seu favor?

Sabe quando você passar por um problema muito sério, e ainda assim mais coisas começam a piorar?

Você acha mesmo que tudo isso é coincidência?

Acha mesmo que é só o acaso jogando com você?

Bom, não é, e eu já experienciei isso tudo muitas vezes pra agora estar completamente convicto disso.

Eu entendi no decorrer desses dias ruins ou problemas sérios que quanto mais eu me mantinha imerso na tristeza, na solidão, focando meus sentimentos no pior, sendo negativo, mais eu me afundava, e mais eu levava tudo o que estava ao meu redor junto comigo.

É impressionante, mas o simples fato da gente mudar o que estamos sentindo diante de uma situação muito difícil já é o suficiente pra muda-la completamente.

Por isso desde então eu tenho observado mais meus sentimentos e emoções, pois são eles meus guias, meu GPS pra eu saber se as coisas vão melhorar ou não, assim:

Se eu continuar me sentindo mal e não mudar rapidamente esse sentimento, as coisas vão piorar. Se eu mudar o sentimento, me focar em algo melhor, ouvir uma música que me eleve, buscar uma lembrança muito positiva, as coisas irão com toda a certeza melhorar.

Não precisa acreditar em mim, mas faça o teste, pois com toda a certeza você ainda passará por dias tempestuosos. Agora, como você passará por eles é que é a grande questão: ou você escolhe se entregar completamente a eles, ou então escolhe vive-los se voltando pro melhor, não se afundando mais.
*  *  *

Mantenha o fluxo desse energia, compartilhe!
Página do Face | Palestras e vídeos | E-mail: sinonimodeoutono@outlook.com