Como Se Relacionar Com As Pessoas III

19:03 Felipe Betim 3 Comentários


Relacionar-se com os outros é uma arte. Cada pessoa necessita de algo diferente no convívio diário. Cada uma necessita que as tratemos de um jeito, pois cada pessoa possui diferentes tipos de defeitos, qualidades e carências.

Cada pessoa tem sua maneira de enxergar as coisas, algumas de formas mais dóceis e passionais, outras com mais altivez e raiva. E isso torna o relacionamento humano um verdadeiro caos! Deveríamos aprender desde cedo como lidar com as pessoas, porque realmente não é fácil.

Entretanto, há uma coisa que poucos observam conscientemente. Existem vezes, que ao encontrarmos pessoas que estão muito bem e alegres, imediatamente ficamos ainda melhores e mais alegres, e o mesmo acontece quando encontramos pessoas que estejam tristes, cabisbaixas ou reclamando da vida. Resultado, quando menos esperamos estamos sentindo as mesmas coisas e passamos também a reclamar da vida junto com a pessoa (às vezes nem querendo fazer isso). Bom, acredito que isso não tenha acontecido só comigo!

Mas porque isso acontece? Na verdade estamos todos interligados pelo inconsciente coletivo, como explicava Carl Jung. É como se existisse uma faixa invisível que nos ligasse, fazendo com que compartilhássemos todos os pensamentos e sentimentos de todas as pessoas e situações. O caso é que para cada sentimento ou pensamento, cria-se uma espécie de ‘inconsciente coletivo’. Existe o inconsciente coletivo das pessoas religiosas, das que têm medo da morte, das pessoas que têm raiva de seu governo, da violência e uma infinidade de outros exemplos que certamente não caberiam neste texto. O fato é que cada pessoa sente algo diferente em determinado ponto do dia. Somos extremamente inconstantes e simplesmente não dá pra focar numa coisa só. Então, vamos adentrando os limites de cada inconsciente coletivo, e é isso que nos faz por exemplo, ficar tristes quando conversamos com alguém que está  triste, e nos ‘identificamos’ com tal sentimento.

E como fazemos para não nos conectarmos com tais sentimentos e emoções? Simples. Sempre que formos conversar com alguém que não está bem, ou que está ligado com coisas que não nos agradam, basta colocar-se para dentro de si, conectar-se com sua própria essência. Não permitir que o inconsciente coletivo que o outro está ligado nos atinja. Preste atenção nas sensações que sente ao conversar com essas pessoas, e no como pode controlá-las no início das conversas. E se conseguir notá-las e imediatamente desviar os pensamentos e sentimentos, conseguirá impedir a conexão com a pessoa e com o que ela está ligada. Caso no meio da conversa começar a sentir as mesmas coisas, volte a posicionar-se da mesma forma.

Isso pode parecer maluco, ou coisa de outro mundo. Mas não é! Aliás, é algo que sentimos desde o momento que começamos a nos formar na barriga de nossas mães, mas que jamais demos tanta importância assim por acharmos que tudo aquilo que sentíamos era sempre nosso. Com toda a certeza, pelo menos 70% do que você sente no decorrer do seu dia são ligações que faz com outras pessoas ou situações.

Atente-se mais a isso, e certamente irá mudar muitas coisas na sua vida, pois não há melhor remédio para o ser humano, senão estar ligado dentro de si próprio e permitir que a criatividade e potenciais divinos possam se manifestar livremente.

P.s.: Para acessar os dois últimos textos anteriores basta clicar nos seguintes links:

Como se relacionar com as pessoas II

Como se relacionar com as pessoas I

Você pode gostar também

3 comentários:

  1. Excelente texto!
    Bom ficar na nossa propria pele! rs
    Bj

    ResponderExcluir
  2. muito bom maninho! curti

    ResponderExcluir
  3. AH FE querido, muito bom :-)))
    bjs
    Clau

    ResponderExcluir